Era exatamente isso que eu queria para mim. Queria que as pessoas confiassem em mim, apesar de qualquer coisa que tivessem ouvido. E, mais do que isso, queria que me conhecessem. Não aquilo que pensavam saber a meu respeito. Mas eu de verdade.
Os 13 Porquês.  (via inverbos)
O ser humano gosta de complicar as coisas, é só uma brisa, quem sabe ela bagunce teu cabelo, quem sabe te acaricie o rosto, quem sabe, quem sabe.
Dom Casmurro  (via teleportear)

Você disse a ele: entra, fica à vontade, não repara na bagunça. O rapaz olhou em volta, está tudo organizado, nos trinques, cheiro de lavanda. Mas você se referia à sua vida.
Gabito Nunes.    (via desabafa-r)

— Oi.
— Oi.
— Gostei do teu cabelo.
— Amei tua barba.
— Teu sorriso não é dos piores.
— Nem o teu.
— Tua voz é… Mansinha.
— Teu olho é claro?
— Mais que o teu, disso tenho certeza.
— Mas os meus são pretos.
— E os meus azuis.
— Teus braços passam segurança.
— E teus seios conforto.
— Gay.
— Gorda.
— Pegou pesado…
— Eu sempre pego.
— Percebi.
— Já te amei.
— Também já gostei um pouco de ti.
— Ainda te amo.
— Tu é agradável.
— To dizendo que te amo.
— E eu que amo chocolate.
— Eu repeti que te amo.
— E eu vou repetir que amo chocolate.
— Chocolate engorda.
— E o teu amor machuca.
Tati Bernardi. (via renunciador)

Posso morar num abraço seu?
12:48.   (via futuro-heroi)

Me desculpe! Eu não deveria ter sentido tanto, eu não devia ter dito tanto, talvez eu devesse ter feito pouco, esperado, talvez eu pudesse ter feito dar certo, se tivesse guardado só pra mim. Mas, era meio complicado, sentir tanta coisa, ter tanto a falar, tanto a fazer por nós.
Orquestrando.  (via renunciador)